Voltar
Polca Paraguaia Instrumental e o violão de sete cordas, por Julio Borba

Polca Paraguaia Instrumental e o violão de sete cordas, por Julio Borba

2022

Instrumentistas: Julio Borba

Tags: Sete Cordas

Resumo: Esta tese buscou definir o contexto e o fazer musical da Polca Paraguaia Instrumental, entre os anos de 2016 e 2019, nas cidades de Ypacaraí e Asunción, no Paraguai e Campo Grande, no estado brasileiro de Mato Grosso do Sul. Para isso, foi realizada uma contextualização histórica tanto no Brasil como no Paraguai, para encontrar os processos transculturais que atravessam o fazer musical da Polca Paraguaia Instrumental (ESCOBAR, 2012) e uma etnografia, utilizando o violão de sete cordas como principal ferramenta de investigação, além da improvisação, recurso sensório-motor como estratégia de convivência musical e a aprendizagem, a partir do conceito de bimusicalidade (HOOD, 1960) e La Clave (PITRE-VÁSQUEZ, 2003; 2014; 2020). Foram encontradas evidências recursivas de um tipo de autonomia do fazer musical, o qual acontece sobre um trasfondo de ação comum aos tocadores deste contexto (VARELA; THOMPSON; ROSCH, 1997). As características musicais e extramusicais da Polca Paraguaia Instrumental (BLACKING, 1974) foram construídas historicamente, porém são constantemente influenciadas por práticas de experimentação e acoplamentos de musicalidades (MATURANA e VARELA, 2001). Para tocar nos círculos criativos (VARELA, 1994), foi necessário ativar uma escuta polifônica (CHAGAS, 2005) para percepção e expressão deste pesquisador nos grupos de tocadores. Foram encontrados dois tipos de sistema de expressão da Polca Paraguaia Instrumental: o primeiro, fechado com elementos situados historicamente no contexto local e, o sistema aberto, quando os músicos ativam intencionalmente a sobreposição de musicalidades incorporadas através da experiência (MERLEAU-PONTY, 1999). O fazer musical se revelou como um processo de aprendizagem humanizador, quando a vida em comunidade ganha novos sentidos, por meio da colaboração, do acolhimento e do respeito mútuo, um espaço para preservar identificações sonoras e problematizá-las através de ações intencionais (FREIRE, 1996). Este tipo de prática comunitária possibilita a formação de músicos responsáveis e éticos em relação à coletividade, com recursos técnico-musicais, para possibilitar uma inserção de maneira criativa nos grupos musicais.

Título: Polca Paraguaia Instrumental e o violão de sete cordas: O contexto e o fazer musical em Campo Grande, Asunción e Ypacaraí
Autor(a): Julio César Matos Borba
Orientador(a): Profº. Dr. Edwin Ricardo Pitre Vásquez
Universidade Federal do Paraná, 2022

Ajude a preservar a memória da nossa cultura e a riqueza da música brasileira. Faça aqui sua doação.