Quem somos

Alessandro Soares

Idealização, curadoria, coordenação de pesquisa e direção geral

Jornalista,  pesquisador e produtor cultural. Idealizador e diretor musical da série Acordes do Rádio: 90 Anos do Violão Brasileiro, patrocinada pelo Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro (2010) e em Brasília (2011). Também criou o  blog www.acordesdoradio.com.br. É o idealizador do CD Luiz Gonzaga: Baião de Viramundo (1999), eleito pelo New York Times como Disco da Semana e co-produtor do CD Frevo do Mundo (2008), muito elogiado pela grande imprensa brasileira, com participação de Edu Lobo, João Donato, Orquestra Imperial, Banda Eddie, Cordel do Fogo Encantado e outros. Atualmente está escrevendo o livro Violões do Nordeste que reúne partituras e a biografia de alguns dos principais violonistas brasileiros. Dirige a Produções do Tempo, empresa dedicada a projetos artísticos e culturais.

Elcylene Leocádio

Direção executiva e edição de textos

Médica,  mestre em ciências sociais, especialista em saúde pública e saúde da mulher. Diretora da empresa Produções do Tempo, coordenou o Projeto Acordes do Rádio - 90 anos do Violões Brasileiro realizado no Rio de Janeiro e em Brasília (2010-2011). Atuou em organizações não governamentais feministas na realização de pesquisas, campanhas educativas, projetos de humanização da assistência à saúde e publicações. (1987 a 1995) Na Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco e no Ministério da Saúde foi coordenadora de programas de saúde da mulher na área de saúde sexual e reprodutiva e violência contra a mulher (1997-2003). Atualmente dedica-se à consultorias em projetos de saúde,  promoção da equidade de gênero e raça e a projetos de arte e cultura

Alexandre Dias

Co-idealização e assessoria técnica para desenvolvimento do Portal

Pianista e pesquisador, coordenou diversos projetos relacionados à divulgação de compositores brasileiros como Acervo Digital Chiquinha Gonzaga (Natura Musical, 2011), para o qual fez a revisão musicológica de cerca de 300 partituras da compositora; Ernesto Nazareth 150 Anos, a convite do Instituto Moreira Salles em 2012, para o qual forneceu sua discografia de obras de Nazareth, atuando também como revisor de suas partituras e produzindo textos sobre a vida e obra do compositor; e Acervo Digital Marcello Tupynambá (independente, 2013), com o objetivo de resgatar as obras deste compositor, disponibilizando cerca de 240 partituras. Em 2014 iniciou a publicação da Edição crítica da obra completa de Ernesto Nazareth (ed. Choro Music) juntamente com a musicóloga Dra. Sara Cohen (UFRJ).

Jorge Mello

Pesquisador e redator do Portal (violão popular)

Mestre e bacharel em Física pela UFRJ. Professor do Departamento de Física da UFRRJ desde 1986, coordenou os projetos culturais Terças Musicais e Num Cantinho um Violão, nos primeiros anos da década de noventa. Lançou em 1999 o CD Voz e Silêncio, com 10 composições de sua autoria, interpretadas pela cantora Myriam Eduardo e com participações de Guinga e Carlos Malta. Coautor do livro Caminhos Cruzados, a vida e a música de Newton Mendonça (editora Mauad, 2000). Autor do ensaio sobre o violonista Laurindo Almeida intitulado “Brazilliance: Uma experiência Inovadora” para o site Músicos do Brasil: Uma enciclopédia Instrumental, coordenado por Maria Luiza Kfouri. Aparece como verbete no Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira. É autor da biografia Gente Humilde: Vida e música de Garoto (edições Sesc São Paulo, 2012). De abril a setembro de 2013, apresentou-se mensalmente, como pesquisador e âncora da série Violão Carioca: Origens, no programa Violões em Foco, na Radio MEC Fm.

Gilson Antunes

Pesquisador e redator do Portal (violão erudito)

Violonista, professor e pesquisador. Já se apresentou na Europa, Ásia, América do Norte e América do Sul, em países como Cuba, Estados Unidos, Inglaterra, Israel, Portugal, Espanha, Itália, México, Uruguai, Venezuela, Peru, Bolívia, Argentina, Colômbia e Paraguai. É um dos poucos violonistas a ter tocado em todos os principais festivais e mostras de violão do Brasil dos últimos 20 anos. Estudou na Guildhall School of Music and Drama, em Londres, Inglaterra, sendo doutor e mestre em Artes pela USP e bacharel em Música pela UNESP. Já gravou 4 CDs solo, além de um CD com o Trio de Violões de São Paulo, tendo participado do projeto Violões do Brasil (CD, DVD e Livro). Mais de 30 compositores de 4 países já lhe dedicaram obras para violão. Desde 2004 é professor de violão do Departamento de Música da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), sendo também endorser das cordas D´Addario.

Paulo Aragão

Consultoria para criação do Portal e produção de arranjos

Violonista, é um dos mais destacados arranjadores brasileiros da nova geração, tendo trabalhado ao lado de nomes como Sergio Assad, Mauricio Carrilho e Guinga. Requisitado com frequência por artistas como Yamandu Costa e Hamilton de Holanda, já teve composições e arranjos tocados por orquestras como a Los Angeles Philharmonic Orchestra, a Orchestre National de France, a Gewandhaus Orchestra de Leipzig, a Metropole Orkest (Holanda), a Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), a Orquestra Petrobras Pró-Música (RJ), a Orquestra Jazz Sinfônica (SP), entre outras. É integrante do premiado Quarteto Maogani de Violões, com o qual já ganhou os Prêmios TIM, Caras e Rival BR. É professor da Escola Portátil de Música, no Rio de Janeiro.

Caio Cezar

Consultoria para  projetos especiais e arranjos

Violonista, maestro e compositor. Como solista destacam-se os CDs: Caio Cezar interpreta João Pernambuco (1993, Velas); Um século do violão brasileiro (2000, projeto especial); e Saudades de Princesa (2010, Crioula Records), com o Trio de Câmara Brasileiro, vencedor do 22º Prêmio da Música Brasileira - Melhor Grupo Instrumental (2011). Como diretor artístico, CDs: Acariocamerata (2008, Rádio MEC), indicada ao 20º Prêmio de Música Brasileira - Revelação e Melhor Grupo Instrumental; e a Série Pixinguinha (2008/2009, Crioula Records) com três CDs: Pixinguinha no Cinema; Pixinguinha Sinfônico, com a Orquestra Petrobras Sinfônica; Pixinguinha Sinfônico Popular, com a Orquestra Sinfônica de Recife. Curador do Centro de Referência da Música Carioca (2007-2008). Revisor da obra orquestral de Pixinguinha junto ao Instituto Moreira Sales (2006-2011). Cinema e TV: direção musical do curta animação Alma Carioca, do curta documentário Somos um Poema e da série Taxi Brasil.

Carlos Chaves

Coordenação e revisão de partituras

Bacharel em violão pela UFRJ e mestre em música pela Uni-Rio, Carlos Chaves atua na música brasileira, principalmente, como violonista, cavaquinhista e professor. Fundou o quarteto de violões Maogani, onde toca até hoje, com o qual gravou 5 CDs (dois dos quais ganharam o prêmio Caras, TIM e Rival-BR de melhor grupo) e viajou por várias cidades brasileiras e mais de 15 países. É integrante do Monobloco, com o qual gravou um DVD e um CD e já excursionou por todo o Brasil. Como editor de partituras, participou da elaboração dos dois livro de partituras do Guinga e da revisão do Livro “Violões do Nordeste”. Trabalhou como professor da Escola de música Villa-lobos por 5 anos e, atualmente, é professor concursado da FAETEC, onde atua no Centro Cultural do CETEP Barreto, em Niterói.

Jow Ferreira

Transcrição de partituras

Violonista e guitarrista. Mestre em Música pela Universidade de Montreal, sob orientação do Prof. Peter McCutcheon.  Bacharel em Violão pela UFRN, sob orientação do Prof. Dr. Eugênio Lima e Técnico em Guitarra pela UFRN, sob orientação do Prof. Ms. Manoca  Barreto. Atualmente  é professor de violão e guitarra no Solar Bela Vista (SESI-RN) e tem se dedicado  à arte do acompanhamento, dividindo o palco com as cantoras Lysia Condé, Bruna Hetzel e Liz Rosa, além de Cacau Vasconcelos, Wigder Valle e Tânia Soares. Na música instrumental, já trabalhou com músicos como Antônio de Pádua, José Fontes, Airton Guimarães, Júnior Primata, Fernando Suassuna, Anderson Pessoa, JP, Eduardo Taufic, Roberto Taufic entre outros.  Em 2014 está previsto o lançamento de seu primeiro CD de violão solo, “Alma nos Dedos”, com composições autorais e arranjos para composições de Tom Jobim, Ivan Lins, Waldir Azevedo, Pat Metheny, Bramhs, João Salinas, Roberto Taufic entre outros.

Edson Luís Carvalho Porto

Edição de partituras

Violonista, arranjador compositor. Concluiu o Curso técnico em violão pela UFRN em 2012, e cursa atualmente o Curso Técnico em Regência e Bacharelado em Música, modalidade Violão pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Trabalha como Músico instrumentista do Exército Brasileiro e como maestro de Orquestra da Igreja Assembleia de Deus em Parnamirim – RN. É natural de Santo Ângelo – RS e  reside em Natal-RN desde Janeiro de 2009.

Andrea Vianna

Designer e direção de arte do ADVB

Diretora de arte e designer. Formada em publicidade, estudou artes gráficas no Istituto Lorenzo de Médici, em Firenze/IT, e na Universidade de Paris V, Sorbonne. No Brasil, trabalhou em grandes agencias de publicidade, desenvolvendo projetos para clientes como Hyundai, Grupo Libra, Prefeitura de São Paulo, Wonderbra, Habib’s, Penalty, Banco Itaú, Zorba, Grupo Sonae-Sierra, Johnsons & Johnsons e Cinemark.Hoje trabalha com branding e criação estratégica criativa, desenvolvendo projetos de branded content e branded entertainment.

Ars – Arquitetura de Interfaces

Desenvolvimento, programação e consultoria internet

A Ars - Arquitetura de Interfaces, é um estúdio de tecnologia que desenvolve sistemas online multiplataforma.  Ars, do latim, é o termo que une ‘arte’ e ‘técnica’ em seu significado, conceitos que sempre nortearam o trabalho dos sócios Eduardo Caetano, Henrique Palazzo e Renato de Almeida Prado. Com mais de 15 anos de experiência no mercado digital, juntaram-se pela complementariedade de suas atuações, com a intenção de realizar projetos completos, com ênfase no planejamento, definição de objetivos e métricas, arquitetura, desenho, programação e monitoramento de resultados. A formação dos três tem forte influência da Arquitetura, de onde deriva a visão de projeto e a crença de que as interfaces digitais, assim como a arquitetura física, respondem ao mesmo problema da organização do ser humano - e seus relacionamentos - no espaço. Entre seus clientes, estão Editora Companhia das Letras, Instituto Moreira Salles, Fundação Biblioteca Nacional, SESC SP, Secretaria de Cultura da Cidade de São Paulo.

Rafael Saar

Diretor e produtor dos vídeos

Graduado em Cinema e Vídeo, e em Publicidade e Propaganda pela Universidade Federal Fluminense. Dirigiu quatro curtas-metragens, entre eles Depois de Tudo, com Ney Matogrosso e Nildo Parente, vencedor de mais de 10 prêmios, como Melhor Ator para Nildo Parente no Festival de Cinema de Brasília, e Melhor filme estrangeiro no UNCIPAR - Jornadas Argentinas de Cine y Video Independiente. O curta Homem-ave foi exibido em diversos festivais no Brasil e no exterior. Trabalhou na produção audiovisual da Cia dos Atores no Rio de Janeiro, no projeto comemorativo Auto-peças. Foi assistente de direção e pesquisador do filme Olho nu, de Joel Pizzini, sobre o cantor Ney Matogrosso, com o qual ganhou em 2012 no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro o prêmio Marco Antônio Guimarães, pelo seu trabalho de pesquisa. Atualmente dirige uma cinebiografia sobre a cantora Baby do Brasil e o documentário "Luli e Lucina", longa ganhador do edital Riofilme 2012.

Rogério Menezes

Preparador de textos e consultor editorial

Jornalista, escritor e consultor de comunicação. Trabalhou em jornais e revistas de Salvador, São Paulo e Brasília (Estadão, Folha da Tarde, Correio Braziliense, Marie Claire, Contigo!, Veja SP, entre outros). De 2000 a 2002 foi titular da coluna Crônica da Cidade no Correio Braziliense. Publicou cerca de 20 livros. Além de obras institucionais, escreveu as biografias de Beth Mendes, Walderez de Barros e Ary Fontoura para a Coleção Aplauso, criada pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo. Autor do livro de crônicas A Solidão Vai Acabar Com Ela (Versal Editores, 2003) e dos romances Meu Nome é Gal (Codecri, 1989), Três Elefantes na Ópera (Record, 2001, um dos vencedores do Prêmio Redescoberta da Literatura Brasileira, da revista Cult), e Um Náufrago Que Ri (Record, 2009). Criador do blog O Lobo No Ar e do hashtag #calendáriorogeriano no Facebook.

Paulo Marcondes F. Soares

Consultor em metodologia de pesquisa

Doutor em Sociologia e vinculado ao Departamento de Sociologia e ao Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Desenvolve pesquisas sobre arte contemporânea (artes plásticas, cinema, música), com tese de doutoramento sobre o artista brasileiro Hélio Oiticica. Ministra as disciplinas Sociologia da Arte e Arte e Política no Brasil. É compositor e letrista e tem como parceiros Henrique Macedo, Geraldo Maia, Marcelo Soares, Alessandro Soares, André Soares, Targino Gondim, Claudio Smith. Tem músicas gravadas por Henrique Macedo, Geraldo Maia, Amanda Barros e Targino Gondim.